Pesquisar este blog

sábado, 7 de novembro de 2015


"Abba, ainda que os meus olhos sejam limitados ao que ele pode enxergar, eu clamo para que me ensine a ver com os seus. O mundo não me compreende na maioria das vezes, mas o que nós dois vivemos juntos é tão real, me faz bem e me transforma todos os dias. Correr para os teus braços, sentir o cheiro do teu amor procurando por mim, impossível não me submeter a você. Jesus que amor é este que me constrange e me consome dia após dia."