Pesquisar este blog

quinta-feira, 12 de novembro de 2015


"O meu corpo sempre irá desejar muitas coisas que não poderei dar a ele, minha carne constantemente se inclina a tantas outras que não deverá possuir, até por que ela não entende que há tempo para todas as coisas, sendo assim eu preciso domestica-la a cada instante. Vivemos em um mundo cercado por delícias que todos os dias nos chamam pra mais perto, no entanto para que eu viva e o meu coração sobreviva a tudo isso, precisamos compreender apenas uma coisa, nada, absolutamente nada vale o preço de perdermos o nosso relacionamento com Deus. Depois, o gostoso da vida não se consiste apenas no que nossas mãos podem ou não tocar, o sabor mais apreciável de nosso refinado paladar se consiste nas incontáveis riquezas de tudo aquilo que o nosso coração foi capaz de colecionar enquanto ele batia."