Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Trancado dentro de mim



Em toda nossa existência humana, passamos por uma série de experiências, trilhamos diferentes caminhos, fazemos muitas escolhas, pois vivemos para alcançar algo. O conjunto de características que possuímos, somado ao que fazemos ou deixamos de fazer, tudo isso ajuda a formar nossa personalidade. Somos ensinados desde quando nos entendemos por gente que algo tem que ser feito, conquistado, isso pode aquilo não, e muitas regras são impostas a nós, pois é preciso entender que acima de tudo, todos nós temos, Deveres e Direitos. Nossa, ufa! Parece muita coisa pzra se administrar não é mesmo?

Mas há momentos em que sentimos uma sensação de que não vamos mais suportar. Acredito verdadeiramente que Deus ao criar o homem, tudo em seu coração já estava bem definido. É como se Deus já estivesse distribuído às tarefas a cada um, mas respeitando nosso tempo, nossa forma de fazer as coisas, e deixando a nós um espaço para criarmos e construirmos, afinal de contas Ele também nos deu livre arbítrio. Só não podemos nos esquecer de que não saber lidar com esse livre abítrio, pode nos custar e muito. Mas por vezes penso que poucos são aqueles que sabem mesmo fazer boas escolhas e tomar decisões certas. Claro, não existe aquele que nuca tenha errado, mas certamente existem os que parecem errar com maior frequência. Que coisa mais complicada essa, fala sério! Tenho vivido tantas e diferentes situações em minha vida, e quando paro para pensar, me pego um pouco decepcionada comigo mesma. Muitos pensam que ser de Deus é o suficiente, confesso que já pensei assim também. Achava-me boa o bastante por ter sido sempre uma boa pessoa, uma moça que apesar das falhas de todo ser humano, sabe se comportar de forma digna e honesta em nossa sociedade, mas com o tempo vamos aprendendo a enxergar quem de fato nós somos, e entender que tudo que temos feito é pouco diante do que realmente Deus espera de nós. Hoje não me vejo mais assim, entendi o quanto ainda preciso caminhar e melhorar para que eu me torne a pessoa que sei que posso e preciso ser. Às vezes penso que me cobro muito, mas  em muitas vezes existe razão para fazermos isso.

Sempre fui muito comunicativa, e houve momentos onde isso me favoreceu, já em outros não muito. Mas fazendo um balanço geral de toda minha vida, percebo que o hábito que tinha de falar muito, antes mesmo das coisas acontecerem, isso tem sido algo negativo em minha vida. Gosto de compartilhar de minhas experiências com Deus, dos projetos e Sonhos que existem em meu coração, valorizo muito isso! Mas a questão é saber quais são as pessoas certas, e o momento adequado. Sempre fui muito cuidadosa em observar com quem eu poderia dividir minha vida, meus questionamentos, sofrimentos, mas por vezes nos empolgamos e nos deixamos levar pelo momento, pela emoção, e com isso erramos feio por não saber esperar o momento certo para dizer as coisas, então a famosa “Ansiedade toma conta de nossos atos."

Um dos fatores negativos em sermos precipitados ao compartilhar coisas que ainda estão sendo geradas dentro de nós é que se elas acabam não dando certo pode alguma razão, sentimo-nos fracassados e ficamos bravos com nós mesmos mais uma vez, e pensamos- Eu e minha boca grande, pra que fui falar. Enfim, quando percebemos que aqueles planos e projetos por enquanto são apenas sonhos, quando conseguimos enxergar toda essa realidade a frente de nossos olhos, nós nos frustramos e nos arrependemos muito por ter expressado nossas ideias antecipadamente mais uma vez. Quando percebo que isso acontece, tenho que confessar que muito me entristeço e me sinto até uma idiota. Falo com Deus: Por que Senhor? Por que permitiu que mais uma vez eu me comportasse e me sentisse uma completa “idiota”, uma boba mesmo. Não estou dizendo que é o Senhor quem faz isso comigo, mas permite que eu me faça essas coisas, se sou meio atrapalhada, então me toma a força em tuas mãos e me ensina o que ainda não conseguir colocar em prática. Mas sei que sou a única responsável por aquilo que me acontece ou não. Por isso preciso mudar minha forma de agir em algumas situações de minha vida, e quado isso acontece, sendo certo ou não eu decido me Trancar dentro de mim.

Muitos podem não entender, não concordar ou achar uma grande besteira, mas não é isso, afinal de contas não estou fazendo nada de errado e ofendendo ninguém, e nem tão pouco dizendo que nunca mais irei compartilhar ou sonhar. Quero apenas deixar as coisas acontecerem se tornarem realidade, para que eu possa compartilhar e falar de algo que é Real, e não dar ao inimigo oportunidade de usar o que digo contra mim mesma. Passar por algumas situações das quais não se espera, é muito doloroso, dói na alma. Mas tenho aprendido a viver um dia de cada vez, percebo que Deus tem dirigido os meus passos nesse sentido, pois quer me ensinar o que inda não aprendi. Hoje vejo que viver com os pés nos chão nem sempre é bom, mas nos machuca menos, e ao final de cada etapa agir  assim é o que realmente nos deixa um grande aprendizado.

Se trancar dentro de nós mesmos não é uma atitude egoísta, nem um ato de se isolar como pode parecer ás vezes, mas é reservar a nós o direito de não sofrer por algo que podemos evitar. Que possamos aprender a guardar não somente o nosso coração, mas entender que há tempo para todas as coisas. Eclesiastes 3: 1 á 8.